domingo, 15 de abril de 2018

Vários pensadores

Ensinamento de Zenão de Eléia:
Zenão de Eléia (490-430) era um político e discípulo de Parmênides.
Para ele Deus é a eternidade e unidade, esférico (circular) porque é todo igual.
Deus não é limitado nem ilimitado, móvel ou imóvel.
Zenão não acreditava no plural e também o movimento não existe.
Para pensar: todo filósofo é taxado de doido, mas é preciso saber que quando se busca a verdade
corre-se o risco de não ser compreendido. A verdade é sempre necessária e vale a pena até
morrer por ela!
Ensinamento de Russell:
Bertran Arthur William Russell, (1872 - 1970) foi uma grande filósofo.
Ele popularizou a filosofia.
Ele também refletiu sobre a matemática, lógica e logística. Para ele a matemática e a lógica são
uma coisa só.
Mas uma ordem superior se impõe sobre essa lógica.
Refletindo:
é verdade que a lógica é a base de tudo, mas existe um problema: o homem manipula a lógica de
acordo com que lhe interessa.Por outro lado a razão deve ser buscada em tudo. Da Verdade se
vem outras verdades!
Ensinamento de Arquelau de Atenas:
Foi um filósofo jônico, considerado o primeiro a ensinar a filosofia da natureza.
Ele pensava que o ar e a infinidade (sem fim) era o princípio de tudo, assim como a mente. Todos
os seres vivos eram dotados mente, mas os seres humanos se separaram. O certo e não era
natural, mas de costume.
Defendia que a terra era achatada e que o sol era a maior das estrelas.
Dúvida: Como os antigos olhavam o mundo?

Ensinamento de São Clemente:
São Clemente I,nasceu em Roma, recebeu o batismo de São Pedro, foi o primeiro pai da fé.
Clemente dizia que a desobediência da Igreja é grave erro.
Ele possuía uma linguagem própria. Sua literatura foi um meio de espalhar seus ensinamentos.
A carta de Clemente I pede obediência a Igreja que representa a autoridade apostólica.
Ensinamento de Orígenes:
Orígenes nasceu em Cesareia em 185, foi filósofo neo platônico.
Para Orígenes o Espírito é a essência.
Ele acreditava na restauração de todas as almas e na reencarnação, contrária ao pensamento
cristão.
Orígenes criou uma forma de lê a Bíblia. Ele escreveu sobre a doutrina do cristianismo.
Para ele o texto bíblico deve ser interpretado historicamente.
Ensinamento de Gregório Nazianzeno:
Gregório de Nazianzo ( 329 - 389) o Teólogo. Ele contribuiu para o pensamento trinitário.
Gregório gostava da cultura grega no cristianismo, ela facilitaria o desenvolvimento da fé.
Publicou com Basílio a obra Filocaulia.
Refletindo:
O que é a trindade?
O que é um Deus em três pessoas?
Ensinamento de Tertuliano:
Quinta Sétima Florence Tertuliano (160- 225) era filho de um advogado romano em Roma. Ele se
juntou ao montanismo, depois de ser contra ao Papa reconciliou-se com o catolicismo.
Tertuliano não acreditava na razão e queria opô-la a fé.
Pensando...
Existe oposição entre fé e razão, ou somente há extremismos dos dois lados?
Ensinamento de Cipriano:
Cipriano de Cartago nasceu em 258, foi bispo de Cartago e escritor da Igreja. Ele pensava que os
pecadores sinceramente arrependidos tinha o perdão de todos os pecados.
Dúvida: o que é o verdadeiro arrependimento?
Ensinamentos de Ambrósio e Gerônimo:
Ambrósio (338- 397), foi bispo de Milão, escreveu sobre a confissão e marilogia.
Jerônimo de Estridão (347- 420) é o tradutor da Bíblia, escreveu sobre a exegese.
Ensinamento de Agostinho:
Agostinho de Hipona (354-343) Filósofo, refletiu sobre o pegado original a pré- destinação e a
inefabilidade papal.
Ele lutou contra o pelagianismo que dizia que o homem não precisa de Deus.
Refletindo...
Será o homem capaz de se salvar?
Como Deus pode salvar o homem?
Ensinamento de Leão e Gregório;
Leão I, (400 - 461) nasceu em Toscana. Ele defendeu as duas naturezas de Cristo e o primado do
Papa.
Gregório I, (540 - 590) criou o canto gregoriano, também defendeu o primado papal.
Ensinamento de Antônio e Abba Pacômio:
Antônio: (251 - 356) foi monge, viveu no deserto, ele defendeu o jejum, a castidade, a oração e o
ascetismo.
Abba Pacômio (292 - 348), seu nome significa "o falcão", também viveu ascetismo.
Refletindo...
O que é uma vida acética?
Por que não se fala hoje em castidade?
Ensinamento de Alberto:
Alberto de Colônia, foi um frade dominicano filósofo, teólogo, professor...
Ele defendeu a união entre a ciência e fé, também estudou Aristóteles. A fé e a razão devem ser
equilibradas. Alberto amava a filosofia de Thomás de Aquino.
São muitos os religiosos que se dedicam aos estudos e dificilmente os mais estudioso são ateus.
A fé e a razão devem caminhar juntas.
Refletindo...
Quando a ciência invade um lugar que não é dela?
Como a filosofia pode contribuir com as duas?
Ensinamentos de Francesco Pretarca e Giovanni Bocatio:
Francisco Petrarca (1304-1374) é o inventor do soneto.
Petrarca é um filosofo humanista. Ele achava importante a moral, do estudo, da história e da
literatura.
Mesmo que o humanismo seja pagão, Petrarca era cristão. Ele defendeu a política e a vida
contemplativa.
Ensinamento de Nicolau de Cusa:
Nicolau de Cusa (1401 - 1464) foi cardeal e filósofo.
Para ele o conhecimento se divide em intelectual e racional. Todo conhecimento vai do conhecido
ao desconhecido. Não existe a medida das coisas ao conhecimento delas. Deus é o único conhecimento na vida.
Para ela o mundo é imagem de Deus, e também é infinito, a terra não é o centro do universo.
Refletindo...
Por que buscamos o absoluto?
Só existe aquilo que conhecemos?
Ensinamento de Giordano Bruno:
Era Filho de militar e doutor em teologias e astros depende do lugar que se está vendo eles.
Deus seria a força criadora perfeita e material. Ele defendeu que o ser humano é muito poderoso.
Para pensar...
Será que tudo tem vida?
Se o homem é tão poderoso assim, então porque ele morre?
Ensinamento de Descartes:
René Descartes (1556-1650) era físico e filósofo.
Ele criou a obra " O discurso sobre o método". Descarte pensava que a dúvida era importante nose  Através desta dúvida se percebe o eu; Descarte defende o uso da matemática no modo
de pesquisa.
Pensando...
O que é o método (caminho)?
Por que hoje se tem vergonha da dúvida séria?
Ensinamento de George Barkeley nasceu em Kilkenny (1685 - 1753).
Berkley aceita o empirismo (experiência) ele acredita na existência numa mente cósmica universal
a qual seria Deus.
Ele atribui os males a incredulidade. Defende também o livre pensamento em matemática.
Questões:
Que é a mente cósmica?
Existe livre pensamento ou isso é loucura?
Ensinamento de John Locke:
Jonh Locke (1932-1704) era um empirista inglês.
Para ele era possível Deus fazer a matéria (coisas) sem o entendimento. Locke não deu
importância a imaterialidade da alma.
Ele pensava que a identidade não era suficiente ao homem.
Na religião defendeu a preexistência de Cristo.
Ensinamento de Hume:
David Hume (1711-1776) foi filósofo escocês.
Hume foi contra a existência do espírito. Seu destaque foi o naturalismo (tudo teria explicação).
Para ele pensamos ser os mesmo de outros tempos, mas todo percebimento humano não é
permanente.
Hume nega a casualidade porque quando se junta dois eventos pode-se prevê as consequências.
A crença basear-se-ia no instinto e ela não pode ser controlada nem provada.
Refletindo...
Qual é a diferença entre instinto e intuição?
Ensinamento de Kant:
Immanuel Kant (1724 - 1808) foi um grande filósofo.
Para Kant todos nós possuímos um conhecimento que não vem da experiência. Sua mentalidade é
relativista (sem certezas).
Mas Kant rejeita o relativismo moderno. Ele apela aos valores morais.
O conhecimento para ele estaria no ser humano.
Refletindo...
Qual a importância da moral?
Como Kant tem certeza que o conhecimento vem do ser humano ou da experiência?
Ensinamento de Bergson:
Henri Bergison (1859 - 1941) era filósofo e diplomata.
Para ele o tempo individual ( não se divide) e que pode ser calculado pela ciência, o tempo de vida
é diferente do tempo real.
Tudo o que é do espaço é um tempo físico, mas diferente do tempo espiritual.
Ele diz que intuitivamente percebe - se a realidade por coincidência de pessoa e coisa.
Já a intuição se liga com a realidade.
Ele também diz que existe duas formas de se chegar ao conhecimento: pelo conceito e pela
intuição.
Bergson diz que é necessária a intuição. Mas hoje é muito difícil usar a intuição corretamente,
porque não se tem honestidade na busca da verdade e os instintos ou impulsos atrapalham.
Ensinamento de Lukács:
George Lukács (1885 - 1975) foi filósofo húngaro.
Lukács repudiou a "consciência de classes, mas defendeu o proletariado. Também foi literário
(escritor). Lukács repudia os naturalistas (“ bicho do mato"), porque sacrifica a inteligência.
A narração é importante para se notar as contradições ( falta de lógica) nos discursos, para iludir
as pessoas.
Essa lógica foi usada para "movimentar" o comunismo, mas o socialismo é impossível.
Refletindo...
Por que o socialismo é impossível?
Ensinamento de Bobbio:
Norberto Bobbio (1909 - 2004) foi filósofo e senador.
Ele explica que é necessária clareza de pensamento, atraéz também dos exemplos. Ele
"combateu" quem pensa mal do marxismo. Estudou muito, socialismo não marxista e a éticapolítica.
seu estilo aguerrido o leva a contrariar Antônio Gramsci.
Ele fala do direito, naturalismo, e positivismo. Falando de justiça ele defende a liberdade igualdade
e tolerância...
Para ele é preciso defender os direitos fundamentais com a própia vida.
Refletindo...
Por que ninguém defende a tolerância aos cristãos que estão morrendo hoje por perseguição
religiosa?

Ensinamento de Horkheimer (1985 - 1973): foi filósofo e sociólogo.
Sua teoria rejeita a ordem total. A "razão polêmica" é contra a razão subjetivista (relativa).
A ciência é um logo caminho de aperfeiçoamento. Tudo tem linguagem matemática.
A razão é formal, instrumental e subjetivista. Para ele a política é irracional. O ambiente social
determina o tipo de conscientização.
A teoria marxista se preocupa segundo ele com o pensamento real, seu materialismo é pessoal e
objetivo ao mesmo tempo.
Ensinamento de Zenão de Eléia:
Zenão de Eléia (490-430) era um político e discípulo de Parmênides.
Para ele Deus é a eternidade e unidade, esférico (circular) porque é todo igual.
Deus não é limitado nem ilimitado, móvel ou imóvel.
Zenão não acreditava no plural e também o movimento não existe.
Para pensar: todo filósofo é taxado de doido, mas é preciso saber que quando se busca a verdade
corre-se o risco de não ser compreendido. A verdade é sempre necessária e vale a pena ate
morrer por ela!

Ensinamento de São Clemente:
São Clemente I,nasceu em Roma, recebeu o batismo de São Pedro, foi o primeiro pai da fé.
Clemente dizia que a desobediência da Igreja é grave erro.
Ele possuía uma linguagem própria. Sua literatura foi um meio de espalhar seus ensinamentos.
A carta de Clemente I pede obediência a Igreja que representa a autoridade apostólica.
Ensinamento de Orígenes:
Orígenes nasceu em Cesareia em 185, foi filósofo neo platônico.
Para Orígenes o Espírito é a essência.
Ele acreditava na restauração de todas as almas e na reencarnação, contrária ao pensamento
cristão.
Orígenes criou uma forma de lê a Bíblia. Ele escreveu sobre a doutrina do cristianismo.
Para ele o texto bíblico deve ser interpretado historicamente.
Ensinamento de Gregório Nazianzeno:
Gregório de Nazianzo ( 329 - 389) o Teólogo. Ele contribuiu para o pensamento trinitário.
Gregório gostava da cultura grega no cristianismo, ela facilitaria o desenvolvimento da fé.
Publicou com Basílio a obra Filocaulia.
Refletindo:
O que é a trindade?
O que é um Deus em três pessoas?
Ensinamento de Tertuliano:
Quinta Sétima Florence Tertuliano (160- 225) era filho de um advogado romano em Roma. Ele se
juntou ao montanismo, depois de ser contra ao Papa reconciliou-se com o catolicismo.
Tertuliano não acreditava na razão e queria opô-la a fé.
Pensando...
Existe oposição entre fé e razão, ou somente há extremismos dos dois lados?
Ensinamento de Cipriano:
Cipriano de Cartago nasceu em 258, foi bispo de Cartago e escritor da Igreja. Ele pensava que os
pecadores sinceramente arrependidos tinha o perdão de todos os pecados.
Dúvida: o que é o verdadeiro arrependimento?
Ensinamentos de Ambrósio e Gerônimo:
Ambrósio (338- 397), foi bispo de Milão, escreveu sobre a confissão e marilogia.
Jerônimo de Estridão (347- 420) é o tradutor da Bíblia, escreveu sobre a exegese.
Ensinamento de Agostinho:
Agostinho de Hipona (354-343) Filósofo, refletiu sobre o pegado original a pré- destinação e a
infabilidade papal.
Ele lutou contra o pelagianismo que dizia que o homem não precisa de Deus.
Refletindo...
Será o homem capaz de se salvar?
Como Deus pode salvar o homem?
Ensinamento de Leão e Gregório;
Leão I, (400 - 461) nasceu em Toscana. Ele defendeu as duas naturezas de Cristo e o primado do
Papa.
Gregório I, (540 - 590) criou o canto gregoriano, também defendeu o primado papal.
Ensinamento de Antônio e Abba Pacômio:
Antônio: (251 - 356) foi monge, viveu ´no deserto, ele defendeu o jejum, a castidade, a oração e o
ascetismo.
Abba Pacômio (292 - 348), seu nome significa "o falcão", também viveu ascetismo.
Refletindo...
O que é uma vida acética?
Por que não se fala hoje em castidade?
Ensinamento de Alberto:
Alberto de Colônia, foi um frade dominicano filósofo, teólogo, professor...
Ele defendeu a união entre a ciência e fé, também estudou Aristóteles. A fé e a razão devem ser
equilibradas. Alberto amava a filosofia de Thomás de Aquino.
São muitos os religiosos que se dedicam aos estudos e dificilmente os mais estudioso são ateus.
A fé e a razão devem caminhar juntas.
Refletindo...
Quando a ciência invade um lugar que não é dela?
Como a filosofia pode contribuir com as duas?
Ensinamentos de Francesco Pretarca e Giovanni Bocatio:
Francisco Petrarca (1304-1374) é o inventor do soneto.
Petrarca é um filosofo humanista. Ele achava importante a moral, do estudo, da história e da
literatura.
Mesmo que o humanismo seja pagão, Petrarca era cristão. Ele defendeu a política e a vida
contemplativa.
Ensinamento de Nicolau de Cusa:
Nicolau de Cusa (1401 - 1464) foi cardeal e filósofo.
Para ele o conhecimento se divide em intelectual e racional. Todo conhecimento vai do conhecido
ao desconhecido. Não existe a medida das coisas ao conhecimento delas. Deus é o único
conhecimento na vida.
Para ela o mundo é imagem de Deus, e também é infinito, a terra não é o centro do universo.
Refletindo...
Por que buscamos o absoluto?
Só existe aquilo que conhecemos?
Ensinamento de Giordano Bruno:
Era Filho de militar e doutor em teologias e astros depende do lugar que se está vendo eles.
Deus seria a força criadora perfeita e material. Ele defendeu que o ser humano é muito poderoso.
Para pensar...
Será que tudo tem vida?
Se o homem é tão poderoso assim, então porque ele morre?
Ensinamento de Descartes:
René Descartes (1556-1650) era físico e filósofo.
Ele criou a obra " O discurso sobre o método". Descarte pensava que a dúvida era importante nos
estudos. Através desta dúvida se percebe o eu; Descarte defende o uso da matemática no modo
de pesquisa.
Pensando...
O que é o método (caminho)?
Por que hoje se tem vergonha da dúvida séria?
Ensinamento de George Barkeley:  nasceu em Kilkenny (1685 - 1753).
Berkley aceita o empirismo (experiência) ele acredita na existência numa mente cósmica universal
a qual seria Deus.
Ele atribui os males a incredulidade. Defende também o livre pensamento em matemática.
Questões:
Que é a mente cósmica?
Existe livre pensamento ou isso é loucura?
Ensinamento de John Locke:
Jonh Locke (1932-1704) era um empirista inglês.
Para ele era possível Deus fazer a matéria (coisas) sem o entendimento. Locke não deu
importância a imaterialidade da alma.
Ele pensava que a identidade não era suficiente ao homem.
Na religião defendeu a preexistência de Cristo.

Ensinamento de Bobbio:
Norberto Bobbio (1909 - 2004) foi filósofo e senador.
Ele explica que é necessária clareza de pensamento, atraéz também dos exemplos. Ele
"combateu" quem pensa mal do maxismo. Estudou muito, socialismo não marxista e a éticapolítica.
seu estilo aguerrido o leva a contrariar Antônio Gramsci.
Ele fala do direito, naturalismo, e positivismo. Falando de justiça ele defende a liberdade igualdade
e tolerância...
Para ele é preciso defender os direitos fundamentais com a própia vida.
Refletindo...
Por que ninguém defende a tolerância aos cristãos que estão morrendo hoje por perseguição
religiosa?
Ensinamento de Horkheimer (1985 - 1973) foi filósofo e sociólogo.
Sua teoria rejeita a ordem total. A "razão polêmica" é contra a razão subjetivista (relativa).
A ciência é um logo caminho de aperfeiçoamento. Tudo tem linguagem matemática.
A razão é formal, instrumental e subjetivista. Para ele a política é irracional. O ambiente social e o tipo de conscientização.
A teoria marxista se preocupa segundo ele com o pensamento real, seu materialismo é pessoal e
objetivo ao mesmo tempo.
Ensinamento de Marcuse:
Herbert Marcuse (1898 - 1979) foi filósofo e sociólogo.
Marcuse se preocupava com a tecnologia porque ela emburrece a população.
Para ele a razão é o uso de todas as possibilidades humano. A pessoa tem o que não precisam, só
para se exibirem.
Ele também critica o racionalismo ( que tudo se explica). Para Marcuse tudo deve ser questionado.
A sociedade sufoca os sonhos das pessoas, mas as incentivam a realizarem seus impulsos de forma
irracional como se fossem animais.
A produção de bens nada mais é para compensar a frustração de não realizarem seus sonhos. É
necessário correr riscos por nossos sonhos!

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Reflexões


 



Ensinamento de Sócrates:
Sócrates nasceu em Atenas na Grécia. Ele dizia que o 
conhecimento está dentro de nós.
Sócrates dizia que a virtude é mais que habilidade é 
bondade. 
A virtude devia ser ensinada as pessoas.
Ele acreditava que a inteligência valia mais que a riqueza.
O filósofo devia ser o rei e a democracia é fundamental.

Vamos pensar!
De onde vem o conhecimento? Com conciliar habilidade
e verdade?
O dinheiro vai servir  depois que eu morrer?

Ensinamento de Justino Mártir:
Justino Martir nasceu em Samaria, estudou o platonismo.
Ele dizia Jesus é o Logos(razão), nós temos parte do conhecimento
da verdade.
Todo ser humano participa desse Logos. Justino acreditava 
que tudo se dirige a Cristo.
Justino criticou duramente os pagãos e lutou contra crença
em falsos deuses.
Ele escreveu uma obra chamada "Diálogo com Trifão"

Pensando...

Por que Jesus é o Logos (sentido)?

quinta-feira, 31 de março de 2016

Reflexões





Ensinamento de Gramsci (1891 -  1937) era comunista.
Para ele tudo é política, a história deve ser corretamente 
entendida, a ciência e a
filosofia não falam a verdade. 
O verdadeiro marxismo é prático. Ele e anti científico
Gramsci contribuiu no baseamento da sociedade. 
A hegemonia cultural favorece as classes dominantes, impedindo
deles crescerem.
A hegemonia é a cultura do domínio, por isso para Granshi é impossível 
a classe dominada chegar ao poder.

Refletindo...
Por que é importante entender as culturas de cada tempo?
O que é a ocupação de espaços e domínio cultural marxista?
 
Ensinamento de Bobbio:
Norberto Bobbio (1909 - 2004) foi filósofo e senador.
Ele explica que é necessário clareza de pensamento, através também
dos exemplos. Ele "combateu" quem pensa mau do marxismo.
Estudou muito, socialismo não marxista e a ética - política, seu
estilo aguerrido o leva a contrariar Antônio Gramsci.
Ele fala do direito, naturalismo, e positivismo.
Falando de justiça ele defende a liberdade igualdade e tolerância...
Para ele é preciso defender os direitos fundamentais com a própria vida.
Refletindo...

Por que ninguém defende a tolerância aos cristãos que estão morrendo hoje 
por perseguição religiosa?













Reflexões



 
Ensinamento de Bergson:
Henri Bergson (1859 - 1941) era filósofo e diplomata.
Para ele o tempo individual (não se divide) e o que pode ser calculado pela 
ciência é o tempo de vida
é diferente do tempo real.
Tudo o que é do espaço é um tempo físico, mas diferente do tempo espiritual.
Ele diz que intuitivamente percebe - se a realidade por coincidência de 
pessoa e coisa.
Já a intuição se liga com a realidade.
Ele também diz que existe duas formas de se chegar ao conhecimento: pelo 
conceito e pela intuição.
Bergson diz que é necessário a intuição. Mas hoje é muito difícil usar a 
intuição corretamente, porque
não se tem honestidade na busca da verdade e os instintos ou impulsos 
atrapalham. 
Ensinamento de Lukács:
George Lukács (1885 - 1975) foi filósofo húngaro.
Lukács repudiou a "consciência de classes, mas defendeu o proletariado.
Também foi literário (escritor). Lukács repudia os naturalistas ("bicho do
mato"), porque sacrifica a inteligência. A narração é importante para se 
notar as contradições (falta de lógica) nos discursos, para iludir as pessoas.
Essa lógica foi usada para "movimentar" o comunismo, mas os socialismo é 
impossível.

Refletindo...
Por que o socialismo é impossível?

Como pode dá certo uma política que matou 200 milhões de pessoas? 
(FONTE: "O Livro  Negro do Comunismo"; Olavo de Carvalho).

Reflexões


 

Ensinamento de Hume:
David Hume (1711-1776) foi filósofo escocês.
Hume foi contra a existência do espírito.
Seu destaque foi o naturalismo(tudo teria explicação).
Para ele pensamos ser os mesmo de outros tempos, mas todo percebimento humano não
é permanente.
Hume nega a casualidade porque quando se junta dois eventos pode-se prevê as 
consequências.
A crença basearia-se no instinto e ela não pode ser controlada nem provada.
Refletindo...
Qual é a diferença entre instinto e intuição?
Ensinamento de Kant:
Immanuel Kant (1724 - 1808) foi um grande filósofo.
Para Kant todos nós possuímos um conhecimento que não vem da experiência. 
Sua mentalidade é relativista(sem certezas).
Mas Kant rejeita o relativismo moderno. 
Ele apela aos valores morais.
O conhecimento para ele estaria no ser humano.
Refletindo...
Qual a importância da moral?
Como Kant tem certeza que o conhecimento vem do ser humano ou da experiência?  

Reflexões




 
Ensinamento de George Barkeley:
Nasceu em Kilkenny (1685 - 1753). 
Berkley aceita o empirismo (experiência) ele acredita na existência numa mente 
cósmica universal a qual seria Deus.
Ele atribui os males a incredulidade. 
Defende também o livre pensamento em matemática.
Questões:
Que é a mente cósmica?
Existe livre pensamento ou isso é loucura?

Ensinamento de John Locke:
Jonh Locke(1932-1704) era um empirista inglês.
Para ele era possível Deus fazer a matéria(coisas) sem o entendimento. 
Locke não deu importância a imaterialidade da alma.
Ele pensava que a identidade não era suficiente ao homem.
Na religião defendeu a preexistência de Cristo.